Sobre a Autora


Heloiza Rodrigues
BIÓLOGA COM MESTRADO EM FISIOLOGIA E BIOQUÍMICA DE PLANTAS | USP
Com 25 anos de experiência, a paisagista alia seus conhecimentos científicos ao know how adquirido em consultorias de manutenções de jardins, possibilitando

Nossas redes


Por que você ainda não tem um JARDIM VERTICAL?


Jardim Caixa Fórum, Paris- Patrick Blanc

Uma das maiores tendências do paisagismo mundial, os jardins verticais humanizam as grandes cidades levando a natureza para locais antes inimagináveis – paredes e muros inacessíveis!

Os jardins verticais foram criados pelo biólogo francês Patrick Blanc que iniciou seus estudos há mais de 30 anos. Observando a natureza, Patrick percebeu que as plantas que nascem nos troncos das árvores e também sobre rochas, não necessitavam da terra para se desenvolverem, mas sim apenas para se fixarem. Desta forma ele imaginou que poderia fornecer outra opção para a fixação das plantas e começou a fazer experimentos com diversos materiais até que chegou à tecnologia que utiliza em seus jardins verticais distribuídos pelo mundo.

Patrick Blanc , com parede verde de sua residência.

Em uma palestra que tive a oportunidade de assistir com Patrick Blanc, na cidade de Joinville, SC, o pai dos jardins verticais fez questão de salientar a biodiversidade da flora brasileira que ele tanto gosta e que utiliza muitas espécies brasileiras em seus trabalhos.

Ele comentou também que em um pequeno passeio pela cidade, pode observar como o clima da região possibilita que plantas nasçam e se desenvolvam no tronco das árvores e nos muros e que foi exatamente este tipo de observação que permitiu a criação de seus jardins verticais.

No entanto é necessário salientar que Patrick Blanc utiliza pequenas mudas de plantas em seus jardins. Estas plantas crescem na manta da estrutura de seus jardins verticais, já alimentadas pelo sistema hidropônico, ou seja, os jardins verticais criados por ele levam um tempo para apresentarem-se formados e bonitos, como todos nós conhecemos.

Jardim Caixa fórum em Madrid, recém plantado.

Nos meses de inverno é comum vermos estes jardins com plantas sem folhas devido à dormência vegetativa e que dão um aspecto de certa forma feio aos jardins verticais. No entanto estas plantas rebrotam na primavera quando, então, apresentam toda sua beleza.

Musée du quai Branly – Paris, no inverno.

A maioria dos brasileiros, amantes de jardins e que apreciam os jardins verticais do Patrick Blanc pelo mundo, não estão acostumados a notarem estas diferenças que ocorrem durante as estações do ano e muitos deles não possuem a necessária paciência para esperarem o tempo que as plantas necessitam para crescerem. Desta forma, conhecendo esta necessidade dos brasileiros de terem o jardim vertical pronto já ao serem entregues, as empresas que desenvolveram tecnologias para os jardins verticais no Brasil, têm trabalhado de forma que o cliente já tenha as plantas formadas ao receberem seus jardins verticais.

Musée du quai Branly- Paris, no verão.

Pensamos assim que estaria resolvida uma das grandes questões sobre as dúvidas de se ter um jardim vertical no Brasil. Mas há outros itens que precisam ser questionados antes de se pensar em ter um jardim vertical, pois ao se observar os jardins verticais que se têm pelas cidades, pode-se notar que muitas plantas morreram ou estão seriamente doentes. Muitos dos jardins verticais que se tem visto têm necessitado de trocas frequentes de plantas e este realmente não é o conceito empregado por Patrick Blanc em seus trabalhos, onde a vegetação é plantada uma única vez e mantida através dos nutrientes fornecidos pela solução hidropônica.

Detalhe do jardim vertical de Patrick Blanc, em Paris.
Detalhe do jardim vertical de Patrick Blanc, em Paris.

Então vamos analisar os motivos que levam os jardins verticais existentes no mercado brasileiro a apresentarem tantos problemas:

O primeiro deles diz respeito ao fato das raízes das plantas terem pouco espaço para se desenvolverem. Confinadas em vasos ou floreiras, as raízes das plantas já adultas colocadas nos jardins verticais têm pouco espaço para crescerem e em pouco tempo tomam toda a área do recipiente e quando isto acontece, as plantas ficam doentes, definham, ficam feias e muitas das vezes morrem o que necessariamente leva à necessidade da troca da planta.

Jardim Vertical | A Prima Plantarum em varanda de uma cobertura.

Outro item importante é quanto à correta especificação da vegetação a ser utilizada. A forma de crescimento da planta, suas necessidades nutricionais e hídricas e também de luminosidade são fundamentais para a correta especificação das plantas, que muitas vezes acabam morrendo antes mesmo do que citamos no parágrafo acima. É comum vermos plantas em jardins verticais que não são capazes de se desenvolverem simplesmente por estarem sendo utilizadas em locais de clima incorreto.

O sistema de irrigação automatizada é também muitíssimo importante para que um jardim vertical permaneça bonito não só quando implantado. A forma que o sistema de irrigação será desenvolvido, juntamente com a escolha das espécies utilizadas, pode ser um fator determinante para que o jardim vertical não dê certo.

Jardim Vertical recém plantado| A Prima Plantarum

Os cuidados com a manutenção e que ela possa ser feita sem a necessidade de elaborados trabalhos é também outro importante fator a ser considerado quando se cria um jardim vertical. Tecnologias que demandam uma constante dependência da empresa que forneceu o jardim vertical podem acarretar problemas com o volume de trabalho x falta de mão de obra a serem administrados pelos fornecedores. Este é um dos maiores problemas dos sistemas hidropônicos no Brasil, assim como das tecnologias que trabalham com substratos de baixa qualidade.

Jardim Vertical | A Prima Plantarum. Projetado com plantas que resistem às diferenças de temperatura.

Desta forma, para atender a todos estes problemas que existem com os jardins verticais no mercado brasileiro, a A Prima Plantarum esta desenvolvendo uma tecnologia única que reúne o melhor substrato existente no país, que permite que as plantas possam se desenvolver por décadas sem a necessidade de trocas, com seus vinte e cinco anos de know-how e conhecimentos científicos sobre espécies ornamentais e um sistema automatizado de irrigação com possibilidades múltiplas de utilização, que resultam em baixíssima manutenção com o resultado que os brasileiros desejam – jardim vertical pronto no ato da entrega!

Ligue para nós e solicite o projeto para seu jardim vertical!

botao jv

 


Heloiza Rodrigues - 04/10/2016
error: Direitos Reservados - Prima Plantarum